Aquário no Horizonte

“Água da vida eu sou, derramada para todos os sedentos.”

Nota-chave para a Alma aquariana, segundo o Mestre Tibetano Djwhal Khul.

aquario

Aquário encontra-se no horizonte da Humanidade, nesta fase de transição da Era de Peixes para a Era de Aquário.

Apesar de não existir consenso, entre astrólogos ou astrónomos, sobre a data em que nos encontraremos definitivamente na Era de Aquário, é evidente que estamos numa fase de transição entre Eras, vivendo uma mistura de energias piscianas e aquarianas (assim como, de energias virginianas e leoninas, representantes dos polos opostos).

As opiniões sobre o momento que marcou o início desta mudança de Era também divergem, sendo que a descoberta de Úrano, planeta que veio a ser considerado regente exotérico de Aquário, parece ser o facto mais consensual. Na sequência da descoberta de Úrano, a humanidade começou a expressar conscientemente as energias associadas a este planeta, como sejam, os valores de liberdade, igualdade e fraternidade, sendo exemplos da expressão de energias uranianas as Revoluções Americana e Francesa (que marcaram o último quarto do século XVIII) e o grande impulso que o desenvolvimento científico e tecnológico registou a partir dessa altura.

Desde então, o papel do indivíduo na sociedade tem vindo a ser progressivamente salientado, nomeadamente, com muitos países a assumirem modelos de governo de base democrática e com uma crescente preocupação quanto à salvaguarda dos direitos humanos.

Atualmente o despertar do “homem aquariano” está bem patente nos movimentos cívicos que assumem um papel político ativo (facto muito impulsionado pelo trânsito de Úrano em Carneiro); ou no incessante trabalho das organizações humanitárias na ajuda a milhões de seres humanos, cuja existência carece muitas vezes dos mais básicos direitos.

(Para ler mais sobre a entrada na Era de Aquário, veja o artigo “Entre Peixes e Aquário”.)

Aquário encontra-se no horizonte de Portugal, país tradicionalmente considerado como tendo uma missão importante na transição para a Era de Aquário.

O povo português foi considerado, desde os tempos da Lusitânia, como tendo uma forte energia pisciana, bem expressa na melancolia do fado e da palavra saudade; na dificuldade em equilibrar o espiritual com o material, oscilando entre o fervor religioso e a ostentação materialista; muitas vezes sonhador e audaz, outras tantas hipercrítico e derrotista. Como terá dito o imperador romano Júlio César “um povo que não se governa nem se deixa governar”. Mas é também um povo de uma fé genuína, que vai para além da crença religiosa, uma fé no divino Absoluto e no divino em cada ser humano – que se manifesta na grande afabilidade para com os outros povos e no imenso espírito de compaixão e solidariedade para com todos os que sofrem.

É nessa espiritualidade potencialmente holística, já presente na origem templária de Portugal, que parece assentar o papel do país na transição para a Era de Aquário. As interpretações do mito bíblico do Quinto Império, efetuadas por P.e António Vieira, Fernando Pessoa e Prof. Agostinho da Silva, apontaram para o papel central de Portugal na construção dum “império” baseado na fraternidade e espiritualidade universais, o que requer uma visão aquariana da humanidade e do divino.

Do império que Portugal já construiu no passado, o império colonial português, ficou uma herança inestimável – a Lusofonia. A atual qualidade das relações com os países outrora colonizados resulta em muito da forma pisciana como os portugueses interagiram com os esses povos durante a colonização, promovendo a miscigenação (isto sem pretender ignorar todas as atrocidades cometidas em nome da expansão territorial e da evangelização forçada de outros povos). Parece-me, assim, que se Portugal conseguir dar esse salto para a visão aquariana, poderá levar muitos outros consigo; ou até mesmo dar esse salto em conjunto com outros países da comunidade lusófona…

Aquário encontra-se no meu horizonte pessoal, que nasci com o Ascendente no grau 29 de Aquário, ou seja, na transição para Peixes.

Por último, um motivo pessoal para ter escolhido o título “Aquário no Horizonte”: nasci com o Ascendente a 29° de Aquário, sugerindo a necessidade de envolver-me pessoalmente e assumir um papel ativo na atual transição da Era de Peixes para a Era de Aquário.

Aquário tem estado no meu horizonte desde sempre: ao utilizar a minha curiosidade geminiana para agregar conhecimentos e construir uma visão mais holística da existência; ao cultivar ideais humanistas e democráticos; ao assumir, muitas vezes, uma posição diferente e não politicamente correta; ao fazer o meu processo de individuação, com o intuito de poder contribuir com o meu melhor serviço à humanidade… e, claro, ao dedicar-me à Astrologia e às terapias holísticas, técnicas de cariz aquariano.

A Era de Aquário está claramente a implementar-se, isso é inegável! A questão que se coloca é o que nos pede esta Nova Era e como responder aos seus desafios…

Este trabalho é o meu modesto contributo para essa questão, arriscando algumas respostas e levantando novas perguntas, com que espero incitar em cada um a sua própria busca de resposta e o encontro da Verdade em si mesmo… como pede a energia de Aquário.

Abraço de Amor e Luz,

Cláudia Matias

Anúncios